05/07/17 16:08

Estudante de Itajaí se destaca em prol da Segurança do Trânsito

Aos 14 anos, Bruno está conscientizando colegas da escola sobre condutas seguras no trânsito

Aluno do 9º ano da escola Aníbal César representou Itajaí em Fórum sobre o tema em São Paulo, e agora vai compartilhar aprendizado com colegas de turma

A informação de que 94% dos acidentes de trânsito em todo o mundo são causados por negligência do ser humano chamaram muito a atenção do estudante Bruno Espíndula, 14. O dado foi discutido no Fórum da Juventude em São Paulo, e se tornou mais um argumento para Bruno em sua missão de trabalhar pela segurança do trânsito em Itajaí-SC.

Bruno estuda na Escola Municipal Aníbal César e se destacou no fórum da juventude promovido pelo Projeto escola da Autopista Litoral Sul/Arteris em São Paulo entre os dias 11 e 14 de junho. O fórum reuniu cerca de 90 estudantes dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais Paraná e Santa Catarina e promoveu o debate sobre alternativas para diminuir o número de acidentes de transito em todo o País. “Quero disseminar esse conhecimento, porque o trânsito é feito por todos nós, e muitos acidentes estão acontecendo por falta de informação”, avalia Bruno.

E os dados que ele aprendeu no fórum estão na ponta da língua. Tanto, que no último dia 26 de junho, ele fez a diferença na blitz educativa promovida para alertar motoristas sobre os riscos do uso de álcool e drogas. “Orientei meus colegas com algumas mensagens importantes para destacarmos nas abordagens, como as de que álcool diminui em 400% os reflexos, 156 pessoas morrem no trânsito por mês no Brasil, e 500 jovens morrem por dia em todo o mundo no caminho da escola”, explica.

Agora, Bruno se prepara para apresentar aos alunos de sua escola uma palestra baseada no conteúdo estudado em São Paulo. “Quero orientar os estudantes sobre os caminhos que eles devem seguir para agirem em prol da segurança do trânsito, a partir de atitudes como reivindicar a melhoria na sinalização, e até mesmo o reparo em um buraco na rua”, conclui o estudante. A expectativa de Bruno após essa etapa é também ampliar a palestra para toda a comunidade em um segundo momento.